A italiana Eluana, em coma há 17 anos depois de um acidente de carro, morreu, anunciou nesta segunda-feira o ministro italiano da Saúde, Maurizio Sacconi, aos senadores, reunidos para examinar um projeto de lei destinado a impedir a suspensão da alimentação da jovem, autorizada pela justiça.

Os senadores observaram um minuto de silêncio em memória de Eluana Englaro, 38 anos, morta três dias depois da interrupção de sua alimentação e de sua hidratação.

O Senado italiano estava reunido em sessão de emergência na noite desta segunda-feira para examinar um projeto de lei apresentado pelo governo de Silvio Berlusconi para impedir a morte de Eluana.

Em dezembro passado, a família da jovem conseguiu na justiça a autorização de deixá-la morrer, e os médicos pararam de alimentá-la e de hidratá-la na sexta-feira, dando-lhe apenas sedativos para amenizar seu sofrimento.

"Que o Senhor a tenha e perdoe aos responsáveis por sua morte", comentou o "ministro da Saúde" do Vaticano, Javier Lozano Barragan, em declarações à agência Ansa.

nou/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.