Morre bebê que teve aparelhos desligados no Reino Unido

LONDRES - Um bebê de nove meses que sofria de um estranho transtorno metabólico morreu após médicos de um hospital britânico retirarem hoje a ventilação mecânica que o mantinha com vida, o que contrariava o desejo de seus pais.

EFE |

"Ele morreu em paz. Foi uma sorte tê-lo conhecido, apesar sua breve vida", disseram os pais ao confirmarem a morte.

A doença da criança afetava gravemente suas funções cerebrais e respiratórias. Os médicos consideravam que ela sofria dores intoleráveis, e que nessas condições não fazia sentido prolongar artificialmente sua vida.

Diante da opinião dos médicos, os pais recorreram aos tribunais para tentar prolongar a vida do bebê, mas não tiveram seu pedido atendido.

Os pais se declararam "profundamente afligidos com a decisão judicial e se mostraram convencidos de que valia a pena preservar a vida da criança".

"Estamos e seguiremos sempre convencidos de que, apesar dos gravíssimos problemas que sofre, sua vida é valiosa e vale a pena conservá-la o tempo que for possível e sempre que não lhe cause dor indevida", afirmaram os britânicos em comunicado.

Os pais destacaram as diferenças de opinião que têm com os médicos que tratam a criança.

"Eles acham que sua vida é insuportável e que sua incapacidade é tal que não faz sentido que siga vivo, mas nós, e algumas das enfermeiras, achamos que é capaz de ter prazer e que há momentos prolongados em que não sofre dor e está relaxado", conta o casal na nota.

    Leia tudo sobre: bebê

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG