Morre aos 94 anos a viúva de Salvador Allende (família)

Hortensia Bussi, viúva do ex-presidente socialista chileno Salvador Allende, faleceu nesta quinta-feira aos 94 anos, informou sua família.

AFP |

Bussi morreu em casa, em companhia de alguns familiares, confirmou à imprensa sua filha, a deputada Isabel Allende, sem dar mais detalhes.

Uma das últimas atividades públicas em que tomou parte foi na homenagem a seu marido, durante o trigésimo aniversário do golpe de Estado que o derrorou, em 11 de setembro de 2003 - um ato liderado pelo então presidente Ricardo Lagos, o segundo socialista a chegar ao poder no Chile.

Nascida no dia 22 de julho de 1914 na cidade de Valparaíso, Bussi casou-se com o médico Salvador Allende no dia 17 de março de 1940. Tiveram três filhas: Carmen Paz, Beatriz (falecida) e Isabel.

O presidente chileno Salvador Allende, morto durante o golpe de Estado liderado pelo general Augusto Pinochet em 1973, passará à história como o primeiro marxista que chegou à presidência de um país latino-americano através de uma eleição popular.

Com um forte apoio popular, Allende conseguiu unanimidade no Parlamento para nacionalizar as grandes minas de cobre - principal riqueza chilena - que durante 40 anos foram exploradas por companhias americanas.

Empenhado numa "transição para o socialismo dentro da institucionalidade", seu governo de Unidade Popular criou uma "área social" ou estatal da economia, à qual integrou uma centena de empresas enquanto acelerava uma reforma agrária para entregar terras aos camponeses e fortalecia os sindicatos operários.

Mas a direita e a democracia-cristã rejeitaram no Parlamento a proposta de Allende para consagrar em uma lei as três áreas da economia: estatal, mista e privada.

Ainda que governando com o apoio de socialistas, comunistas, a esquerda cristã e outras correntes, Allende enfrentou a rejeição de organizações de extrema-esquerda, que consideravam inevitável "o enfrentamento" violento com a burguesia.

A ofensiva contra "a via chilena para o socialismo" piorou em outubro de 1972, quando os empresários do transporte, comerciantes e sindicatos paralisaram o país para derrubar o governo.

Para restabelecer a ordem, Allende convidou para o gabinete representantes do exército, marinha e força aérea, e dois meses depois denuncia na Assembléia Geral das Nações Unidas a "agressão" das companhias multinacionais.

Nas eleições parlamentares de março de 1973, a Unidade Popular aumentou seu apoio e sua força legislativa, ao receber 43,3% dos votações, mas o Senado declarou o governo inconstitucional, o tribunal das contas públicas não reconheceu a legalidade de suas ações e surgiu a ameaça de um golpe.

Quando Allende se preparou para convocar um plebiscito, num discurso que faria no dia 11 de setembro de 1973, o general Augusto Pinochet se levantou em armas junto aos chefes dos outros setores militares e a polícia de carabineiros.

pa/rs/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG