Morgan Freeman sofre grave acidente de carro e está em estado crítico

O ator americano Morgan Freeman, que ganhou um Oscar em 2005 por sua atuação em Menina de Ouro, foi gravemente ferido em um acidente de carro no Mississippi (sul dos EUA), informaram meios de comunicação americanos nesta segunda-feira.

AFP |

Morgan Freeman, 71 anos, foi transportado de helicóptero para o centro médico regional de Memphis, no estado vizinho de Tennessee, depois de o carro onde ele estava ter capotado várias vezes na noite de domingo, segundo meios de comunicação locais e a rede de televisão CBS.

"Tudo o que posso dizer agora é que ele está em estado crítico", declarou Kathy Stringer, porta-voz do estabelecimento, citada pelo site da revista People.

No entanto, citando Bill Luckett, um parceiro de negócios do ator, o canal de televisão local Fox 13 afirmou que Freeman estava sentado e falando. No entanto, nenhum detalhe foi revelado sobre a natureza dos ferimentos do ator.

Uma mulher, com identidade não revelada, estava ao lado de Freeman na hora do acidente, que envolveu apenas o carro do ator, segundo a polícia de Mississippi, citada pela televisão. Os bombeiros tiveram que usar uma pinça hidráulica para conseguir retirar os dois do veículo. Nenhuma informação está disponível sobre o estado da mulher.

O ator, que só começou a fazer sucesso no cinema depois dos 50 anos, ganhou em fevereiro de 2005 o Oscar de ator coadjuvante por sua atuação em "Menina de Ouro", de Clint Eastwood.

Nascido no Tennessee no dia 1 de junho de 1937, ele começou no teatro em 1967. Em 1987, seu papel de Fast Black no filme "Armação Perigosa" lhe rendeu muitos prêmios e uma primeira indicação para o Oscar.

A consagração veio em 1990, ano em que conquistou um Urso de Prata em Berlim e uma nova indicação ao Oscar por seu papel de motorista negro em "Conduzindo Miss Daisy" (1989), um filme de Bruce Beresford.

A partir daí, ele acumulou sucessos como "Tempos de Glória" (1989) de Edward Zwick, "Robin Hood, o príncipe dos ladrões" (1991), em que atua ao lado de Kevin Costner, ou "Os Imperdoáveis" (1992), sua primeira colaboração com Clint Eastwood.

Em 1995, ele foi novamente indicado para o Oscar por seu papel de prisioneiro em "Um Sonho de Liberdade" (1994). No mesmo ano, ele atuou ao lado de Brad Pitt no filme "Seven - Os Sete Crimes Capitais", de David Fincher.

Morgan Freeman já foi um abolicionista em "Amistad" (1997), de Steven Spielberg, o presidente dos Estados Unidos em "Impacto Profundo" (1997), e até Deus em "Todo Poderoso" (2003).

Conhecido por sua voz rouca e profunda, ele também trabalhou como narrador em muitos filmes e documentários, entre eles a versão americana do documentário francês "A Marcha do Imperador" (2005).

Muito ativo, Freeman já foi visto em três filmes de sucesso em 2008: a comédia "Antes de Partir", com Jack Nicholson, o filme de ação "Procurado", com Angelina Jolie, e principalmente "Batman, O Cavaleiro das Trevas", que está acumulando os recordes e já é um dos maiores sucessos de bilheteria da história do cinema.

jco/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG