O presidente da Bolívia, Evo Morales, transferiu para agricultores indígenas a posse de milhares de hectares de terras recém-confiscadas de latifundiários. Hoje é um dia histórico.

A partir de agora estamos começando a por fim ao latifúndio e à escravidão dos (índios) guaranis", disse o presidente ao entregar 34 escrituras de terrenos em solenidade no Alto Parapetí, na Província de Santa Cruz, onde ele enfrenta forte oposição a suas reformas.

Morales afirmou que seu governo vai respeitar a propriedade privada, mas advertiu que os latifundiários "que não estão interessados na igualdade devem mudar sua forma de pensar e se concentrar mais nas necessidades do país do que no dinheiro".

A entrega dos terrenos é feita poucas semanas depois que a Bolívia aprovou uma nova Constituição que limita o tamanho das propriedades e prevê maior controle do Estado sobre os recursos naturais do país. A Carta dá ainda mais direitos para os 36 grupos indígenas da Bolívia.

O documento foi aprovado por cerca de 60% do eleitorado em um referendo em janeiro, mas rejeitado em regiões ricas que se opõem a Morales.

O presidente realizou a cerimônia na antiga fazenda de Ronald Larsen, um cidadão americano que estava entre os ricos proprietários que tiveram suas terras confiscadas no mês passado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.