Morales reitera críticas a García por asilar ex-ministro

La Paz, 11 mai (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, acusou hoje o chefe de Estado peruano, Alan García, de proteger delinquentes, o comparou com o ex-governante americano George W.

EFE |

Bush e disse que sua atitude "é uma aberta provocação".

Morales voltou a criticar hoje Alan García por asilar no Peru a ex-ministro boliviano Jorge Torres Obleas, que junto ao ex-presidente Gonzalo Sánchez de Lozada e vários membros de seu segundo mandato são acusados de envolvimento em 60 mortes ocorridas durante a repressão militar de outubro de 2003.

"Antes, os delinquentes escapavam para os Estados Unidos quando George Bush era presidente, agora os delinquentes fogem para o Peru, porque o presidente peruano protege esses delinquentes", afirmou Morales em coletiva de imprensa em La Paz.

Segundo ele, "o que Alan García está fazendo é uma aberta provocação ao povo boliviano e ao Governo", após reiterar que o Peru está descumprindo normas internacionais e suas próprias leis nacionais sobre asilo e refúgio.

O Governo peruano concedeu asilo ao ex-ministro de Desenvolvimento Econômico boliviano Jorge Torres Obleas e avalia os pedidos da ex-ministra de Participação Popular Mirtha Quevedo e do ex-titular do Ministério da Saúde Javier Torres Goitia.

Sánchez de Lozada (1993-1997 e 2002-2003) e vários dos ministros de seu segundo mandato são acusados de genocídio pelas mortes geradas na repressão militar a uma série de protestos sociais na cidade de El Alto, em outubro de 2003.

O ex-presidente renunciou em 17 de outubro desse ano e partiu para os EUA, onde também moram seus então ministros da Defesa, Carlos Sánchez, e de Hidrocarbonetos, Jorge Berindoague.

Os outros ministros de Sánchez de Lozada que se encontram fora da Bolívia são Yerko Kukov, Guido Áñez e Hugo Carvajal. EFE sam/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG