La Paz, 9 mar (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, expressou hoje seu desejo de que as mulheres ocupem 50% das cadeiras do novo Parlamento que será formado após as eleições de 6 de dezembro.

"Quero dizer, em homenagem ao Dia da Mulher, em homenagem à minha mãe, à minha filha e à minha irmã, que queria que, um dia, tivéssemos 50% de mulheres que formem a nova Assembleia Plurinacional; que bom seria", afirmou Morales.

Em um ato no Palácio do Governo de La Paz no qual nomeou a ex-presidente da Administradora Boliviana de Estradas (ABC) Patricia Ballivián como ministra de Desenvolvimento Produtivo e Economia Plural, o presidente aproveitou para expressar seu "máximo reconhecimento" às mulheres.

"Estou convencido de que, quando a mulher se introduz em temas políticos, econômicos e de justiça, é a mais batalhadora", afirmou, ao lembrar sua experiência como líder do movimento cocaleiro no trópico de Cochabamba.

Ali, disse, "a mulher brigava para enfrentar essa repressão e essa erradicação forçosa" da coca.

O líder indígena se mostrou também disposto a trabalhar para aumentar a participação política das mulheres em seu gabinete.

"Em nossa gestão se mantêm quatro ministras e temos muitas vontade de seguir melhorando a participação das mulheres", afirmou.

No entanto, rejeitou a possibilidade de criar um ministério exclusivo para a mulher, assim como criar uma pasta específica para os indígenas, já que considerou que "todos têm direito a estar em qualquer lugar". EFE lav/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.