Morales quer mais nacionalizações mas admite falta de verba para investimento

La Paz, 6 jan (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, ratificou hoje sua intenção de nacionalizar os setores elétrico e ferroviário, mas reconheceu que seu país não tem recursos econômicos suficientes para fazer os investimentos posteriores.

EFE |

O líder se referiu ao tema durante um ato na cidade de Potosí, onde se reuniu com mais de 1.500 autoridades indígenas das comunidades andinas dessa região.

Morales reiterou seu desejo de concretizar a nacionalização do setor elétrico e do ferroviário, dos quais participam investidores americanos, espanhóis e chilenos.

Disse que assim como fez com a telefônica Empresa Nacional de Telecomunicações (Entel), antes controlada pela Telecom, da Itália, recuperará para o Estado o setor elétrico neste ano ou no próximo.

"Assim como recuperamos a Entel, vamos continuar recuperando outros serviços básicos. Com a luz (o setor elétrico), acontecerá neste ano ou no próximo ano", disse o líder durante seu discurso.

Morales assinalou que também precisa recuperar para o Estado as ferrovias que na região andina da Bolívia possuem participação de investidores chilenos do grupo empresarial Luksic e no leste de uma empresa americana.

No entanto, hoje admitiu que enfrenta limitações para avançar nestas "recuperações" estatais, por que não há "recursos econômicos suficientes" para os investimentos.

"Se apenas recuperássemos (as empresas) não garantiríamos o investimento", apontou o líder. EFE ja/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG