Morales quer encerrar ainda hoje diálogo com oposição

La Paz, 21 set (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, pretende encerrar ainda hoje o processo de diálogo com a oposição em curso em Cochabamba (centro) e chegar a um acordo imediato para pacificar o país.

EFE |

"Meu desejo é terminar este diálogo hoje (...), com acordos gerais que permitam garantir autonomia e a nova Constituição", disse o presidente à imprensa no quarto dia de conversas entre o Executivo e os opositores autonomistas.

Morales destacou sua "flexibilidade" em revisar a parte do novo texto constitucional que se refere aos governos autônomos, que, segundo disse, terão que contar com a participação de diferentes setores sociais, "sem menosprezar o trabalho que os constituintes fizeram".

"Quero assinar um documento que permita pacificar o país e garantir a autonomia para os departamentos (estados) e outras regiões, mas também garantir a nova Constituição política do Estado", disse o presidente.

Morales ressaltou a importância de os governadores opositores terem colocado em uma de suas últimas propostas impulsionar a nova Constituição, mas rejeitou a parte na qual pedem para revisar o texto da Carta Magna, o que significaria desconhecer aquele que foi aprovado pela Assembléia Constituinte.

O governante também exigiu a "devolução e a normalização imediata das instalações públicas", e lembrou que 11 instituições estatais tomadas por grupos autonomistas em várias regiões ainda não foram devolvidas.

"Esperamos" que as instituições "sejam devolvidas" nas próximas horas, acrescentou.

O presidente informou que se reuniu esta manhã com os dirigentes dos movimentos sociais que mantêm um cerco em Santa Cruz, que disseram que se a aprovação da nova Constituição for garantida, estão dispostos a flexibilizar as medidas de pressão. EFE lav/ab/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG