Morales pede que EUA ajudem a julgar ex-ministro acusado de genocídio

La Paz, 8 jun (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, pediu hoje aos Estados Unidos ajuda para julgar o ex-ministro da Defesa Carlos Sánchez Berzaín, que vive em território americano e que é acusado de genocídio pelas mais de 60 mortes que aconteceram em outubro de 2003.

EFE |

Morales disse que o embaixador dos EUA em La Paz, Philip Goldberg, e todo seu Governo podem cooperar para "fazer justiça contra os que causaram muito prejuízo à Bolívia".

"Não é possível que alguns personagens com trajetória política negativa possam ser protegidos pelo Governo dos EUA", declarou Morales aos jornalistas ao término de uma partida de futebol disputada com um grupo de empresários exportadores.

Sánchez Berzaín revelou na última quinta que tem status de refugiado político nos EUA há mais de um ano, o que dificultaria o processo de extradição solicitado pelo Governo Morales.

O ex-ministro da Defesa fugiu para os EUA após as revoltas de 2003 nas quais morreram mais de 60 pessoas e que acabaram com o segundo Governo de Gonzalo Sánchez de Lozada (2002-2003), também foragido e acusado de genocídio na Bolívia. EFE ja/bm/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG