Morales pede à UE que não divida andinos

Lima, 17 mai (EFE) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, pediu hoje à União Européia (UE) que não divida os andinos nas negociações de um acordo de associação, mas afirmou que seu país, Colômbia, Equador e Peru concordaram em se manter unidos. Em entrevista coletiva após se reunir com a presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, Morales indicou que os quatro países que formam a Comunidade Andina (CAN) se entenderam durante uma reunião realizada hoje em Lima com as autoridades da União Européia. Na reunião, emoldurada na 5ª Cúpula América Latina-Caribe-União Européia (EU-LAC, em inglês) realizada em Lima, foi ratificada a vontade de todos de continuar as negociações com o objetivo de fechar um amplo acordo de associação com conteúdo político, comercial e de cooperação em 2009. O presidente do Peru, Alan García, e o do Equador, Rafael Correa, anunciaram separadamente à imprensa que a reunião tinha terminado com um acordo que permite resolver as diferenças internas da CAN sobre a negociação com o bloco europeu. Nosso grande desejo é de que haja essa negociação bloco a bloco, e que não se marginalize a Bolívia, como pretendiam alguns presidentes, disse Morales em referência ao desejo da Colômbia e Peru de chegar a acordos individuais com a UE. Esperamos que a UE possa entender que não estamos pretendendo reparar danos de mais de 500 anos, mas é importante nos complementar para buscar certa igualdade entre nossos povos, através de uma...

EFE |

Morales explicou que manteve encontros bilaterais à margem da Cúpula com o chefe de Estado venezuelano, Hugo Chávez, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a primeira-ministra alemã, Angela Merkel, e o governante guatemalteco, Álvaro Colom, além de com o chefe do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero.

Além disso, se reuniu com o alto representante da UE para Política Externa e de Segurança Comum, Javier Solana, a comissária de Relações Exteriores, Benita Ferrero-Waldner, e o ministro de Assuntos Exteriores italiano, Franco Frattini. EFE met/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG