Morales nos EUA: a DEA não voltará à Bolívia enquanto eu for presidente

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse nesta segunda-feira em Nova York que a agência antidrogas americana DEA, expulsa de seu país, não regressará enquanto ele estiver no poder; revelou que iniciou contactos com Brasil, Rússia e França para comprar helicópteros para a luta contra as drogas em seu país.

AFP |

"A DEA não voltará enquanto eu for presidente", disse Morales em entrevista à imprensa na sede da ONU, depois de um discurso na assembléia geral do organismo.

Segundo Morales, "isso não significa romper as relações com os Estados Unidos". Esclareceu que, depois da eleição de Barack Obama na Casa Branca, buscará "melhorar as relações diplomáticas, de comércio e de cooperação" com Washington.

Morales disse também que proporá à União de Nações Sul-Americanas (Unasul) "regionalizar a luta contra o narcotráfico", insistindo que iniciou contactos "com países como Brasil, Rússia e França para comprar equipamentos".

O presidente boliviano havia ordenado no começo do mês a saída da Drug Enforcement Administration (DEA, nas siglas em inglês), ao acusá-la de apoiar uma suposta tentativa de golpe de estado por grupos cívicos de direita em setembro.

ltl/ml/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG