La Paz, 6 jul (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, descartou hoje a possibilidade de devolver às regiões os recursos do Imposto Direto sobre os Hidrocarbonetos (IDH), como exigiram por meio de uma carta cinco governadores regionais de oposição.

Em discurso no departamento de Cochabamba (centro), Morales disse que somente se os idosos estiverem de acordo devolverá a parte do IDH, que antes era destinado aos departamentos e agora serve para pagar uma pensão vitalícia não contributiva aos maiores de 60 anos, chamada de "Renda Dignidade".

"Alguns governadores regionais estão dizendo para devolver o dinheiro do IDH aos departamentos. Se nossos avós disserem para devolver, o dinheiro será devolvido", afirmou.

Segundo a imprensa boliviana, governadores regionais, em carta dirigida ao presidente boliviano, ameaçaram fazer mobilizações, caso não recebam até a próxima terça-feira uma resposta positiva do Executivo à exigência.

Já o ministro da Fazenda boliviano, Luis Arce, disse à televisão estatal que os nove departamentos da Bolívia recebem mais receita pelo IDH do que o estipulado, devido à alta dos preços internacionais.

"Os departamentos estão recebendo pelo IDH mais dinheiro do que haviam orçado", afirmou Arce, que calculou o aumento em quase US$ 2 milhões.

"Não há desculpa econômica sobre este assunto", afirmou o ministro que explicou que os departamentos previram receber US$ 110 milhões, entretanto, estão recebendo quase US$ 112 milhões, mesmo após destinar 30% da receita do IDH ao pagamento da "Renda Dignidade". EFE az/rb/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.