Morales identifica suposto agente da CIA em petrolífera estatal

La Paz, 24 fev (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, identificou hoje o capitão de Polícia Abraham Ramiro Carrasco como o agente infiltrado da CIA (agência central de inteligência americana) na companhia petrolífera estatal YPFB, que sofreu intervenção do Governo em janeiro por um escândalo de corrupção.

EFE |

Em programa de rádio, Morales explicou que Carrasco, que foi demitido da YPFB após vir a público essa trama de corrupção quando foi descoberto destruindo documentos confidenciais, foi treinado nos Estados Unidos e foi "assessor para implementar segurança física em acampamentos petroleiros no Iraque".

O líder já tinha denunciado no sábado que a CIA estava infiltrada na petrolífera estatal. Morales acusou o "agente infiltrado" de ter se empregado em empresas agropecuárias e instituições do leste boliviano que se opõem a seu Executivo e na embaixada dos Estados Unidos no país, e que estava "encoberto pelos Governos neoliberais".

"Eu disse que havia uma grande infiltração da CIA e quero que o povo saiba a infiltração que havia na YPFB", afirmou o presidente, que definiu Carrasco como "um policial formado, treinado, contratado, amparado e comprado" por esta agência americana.

Ele acrescentou que o capitão pode ser "altamente perigoso quando vê sua capacidade para realizar operações encobertas, infiltração, sabotagem e controle político". EFE lav/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG