Morales: expulsão de embaixador americano foi por dignidade e não fragilidade

O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou neste sábado que a decisão de seu governo de expulsar o embaixador dos Estados Unidos, Philip Goldberg, não foi por fragilidade e sim por dignidade e pela soberania dos povos.

AFP |

"O governo boliviano tomou uma decisão não por fragilidade e sim por dignidade e pela soberania dos povos ao declarar persona non grata o embaixador dos Estados Unidos", afirmou o presidente, ao comentar as declarações do porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack

O funcionário americano disse que Morales e o colega venezuelano Hugo Chávez agiram por pura "fragilidade" ao expulsar os embaixadores de seu país.

"A decisão obedece a luta dos povos indígenas principalmente, não somente na Bolívia, mas na América Latina, que lutaram por 500 anos contra os impérios da vez", declarou Morales.

"Onde está o império não há desenvolvimento, onde estão os impérios dominando um país não há superação, não há independência, não há dignidade. Se trata de como nos libertarmos para impulsionar nosso próprio desenvolvimento", argumentou.

str/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG