Morales e oposição podem firmar acordo no domingo, diz governador regional

O governador regional de Santa Cruz, Rubén Costas, afirmou, nesta segunda-feira, que o diálogo político na Bolívia salvou-se de ser rompido graças à semana adicional de negociações estipulada entre o presidente Evo Morales e a oposição, que esperam estipular um acordo no domingo.

EFE |

O governador opositor desta região do leste do país admitiu que o processo de diálogo provavelmente teria se rompido caso a mesa central das negociações houvesse sido reatada nesta segunda-feira, como estava previsto, sem dar tempo extra às conversas realizadas nas comissões temáticas.

Morales e Costas se reuniram no domingo reservadamente para acordar a prorrogação do prazo para estas comissões, que discutem os temas constitucionais, autônomos e econômicos que opõem as partes.

O encontro, no qual o presidente e seu principal opositor autonomista analisaram a situação política do país, se desenvolveu com "cordialidade" e "muito respeito", e Morales mostrou "bastante vontade", disse Costas.

O governador de Santa Cruz acrescentou que as duas partes têm "claro" que, no próximo domingo, "tem que haver fumaça branca" e acontecer um consenso político.

A mesa plenária das negociações, da qual participam Morales e os governadores regionais opositores de Santa Cruz, Tarija, Beni e Chuquisaca, seria retomada nesta segunda, mas foi adiada até 5 de outubro para dar mais tempo às comissões temáticas que trabalham na cidade de Cochabamba, no centro do país.

As missões técnicas discutem as reformas constitucionais defendidas pelo Governo, as autônomas promovidas pelos governadores regionais de cinco regiões e a distribuição da receita proveniente dos impostos sobre os hidrocarbonetos entre o Estado e os departamentos.

A imprensa local publicou nesta segunda que os governadores regionais exigem também incluir modificações nas áreas de Justiça, institucionalidade, a intervenção do Estado na economia, procedimentos para as reformas constitucionais e normativa eleitoral.

    Leia tudo sobre: bolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG