La Paz, 25 mai (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, e a oposição comemoraram hoje separadamente o grito libertário de Sucre, precursor dos movimentos de independência contra o domínio espanhol, em um dia de homenagem a toda a América Latina, segundo disse o governante boliviano.

Morales abriu o dia de comemoração do bicentenário da primeira revolta americana contra a Espanha - ocorrida em 25 de maio de 1809- na localidade de Monteagudo, mais de 200 quilômetros ao sudeste de Sucre, onde inaugurou um serviço de telefonia celular.

Deste local, foi à vizinha localidade de El Villar, cenário do ato central da comemoração em memória da vitória da heroína Juana Azurduy Padilla nas guerras pela independência.

O líder indígena aproveitou o discurso para homenagear "Bolívia, Chuquisaca, toda a América Latina e todos os heróis que lutaram pela libertação".

Além disso, Morales pediu "neste dia importante para Chuquisaca e para toda a Bolívia" para fazer uma "profunda reflexão do presente para projetá-lo no futuro" dos povos e "poder compartilhar grandes sonhos e desejos".

Participam do ato oficial em El Villar o corpo diplomático credenciado no país e vários membros do Gabinete de Morales.

Esta atividade se opõe ao ato realizado oficialmente pelas Prefeituras de Chuquisaca e de Sucre nesta cidade.

Em Sucre acontece um desfile cívico no qual participam os governadores e dirigentes opositores e autonomistas dos departamentos de Santa Cruz, Beni e Tarija. EFE lav/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.