Morales e Chávez demonstram desespero, dizem EUA

O governo americano acusou os líderes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Bolívia, Evo Morales, de agir com desespero ao expulsar os embaixadores americanos de seus países.

BBC Brasil |

Segundo o porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack, a ação dos dois países ''reflete a fraqueza e o desespero destes dois líderes, que estão enfrentando desafios internos e possuem pouca habilidade em se comunicar de forma eficaz internacionalmente, de modo a obter apoio internacional''.


Chávez anuncia expulsão de embaixador norte-americano / AP

Os comentários de McCormack se deram no mesmo dia em que o governo americano anunciou a adoção de sanções contra dois integrantes do governo Hugo Chávez e contra um ex-funcionário da administração venezuelana.

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos acusou Armando Carvajal Barrios e Henry de Jesús Rangel Silva, que atuam na administração da Venezuela, e Ramon Rodríguez Chacín, que não está mais no governo de Hugo Chávez, de dar apoio material a operações de narcotráfico conduzidas pelo grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as Farc.

Lista negra

Com a inclusão dos venezuelanos na lista negra de traficantes, o Tesouro congelou quaisquer bens que os três possam ter nos Estados Unidos e proibiu qualquer americano de manter relações comerciais com eles, sob pena de encarar uma sentença de 30 anos de prisão.

Rodríguez Chacín, o ex-funcionário acusado pelo Tesouro americano, é um militar aposentado e integra o ciclo de pessoas próximas a Hugo Chávez. Ele deu forte apoio à tentativa de golpe comandada pelo então tenente-coronel Chávez, em 1992, contra o governo de Carlos Andrés Pérez.

Com a ascenção de Chávez à Presidência, em 1999, Rodríguez Chacín passou a integrar a missão venezuelana de obervadores das negociações entre o governo da Colômbia e as Farc.

Escalada

A escalada da tensão entre Estados Unidos e Venezuela e Bolívia se intensificou após os latino-americanos terem acusado os americanos de ter incitado os protestos violentos que tomaram as ruas bolivianas nos últimos dias, provocando a morte de pelo menos 14 pessoas.

Por conta do suposto envolvimento americano, a Bolívia decidiu expulsar o representante americano no país. Em solidariedade à Bolívia, a Venezuela adotou ação idêntica.

De acordo com o porta-voz do Departamento de Estado, ''as duas acusações são falsas e os líderes destes países sabem disso''.

Em retaliação à ação dos países andinos, os Estados Unidos expulsaram os respectivos embaixadores da Venezuela e da Bolívia de Washington.

Ameaça de Chávez

Hugo Chávez ameaçou cortar o fornecimento de petróleo venezuelano aos Estados Unidos.

O país conta com uma das maiores reservas petrolíferas mundiais fora do Oriente Médio e, a despeito das crescentes tensões com os americanos, nunca deixou de fornecer petróleo para o mercado americano.

Chávez afirmou ainda que não irá retomar plenas relações diplomáticas com os Estados Unidos até que o presidente George W. Bush deixe a Casa Branca.

Leia mais sobre Venezuela  - EUA

    Leia tudo sobre: venezuela

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG