Morales diz temer volta da direita ao poder na América do Sul

La Paz, 3 ago (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, expressou hoje preocupação com uma eventual volta dos partidos de direita ao poder na América do Sul, pela proximidade das eleições gerais em alguns países da região.

EFE |

"O que aconteceria, e para isso devemos estar preparados, se a linha dos 'pinochetistas' no Chile vencer as eleições? Seria muito grave para a democracia sul-americana. Que aconteceria se a direita fascista voltasse à Argentina?", questionou Morales durante o lançamento do livro de um vice-ministro de seu Governo.

O presidente boliviano propôs uma reunião das organizações sociais e partidos de esquerda da América do Sul para "debater" e encontrar "uma iniciativa" para decidir o que fazer a respeito.

Ele citou como exemplo as diferenças que tem com a Administração do peruano Alan García, à qual se referiu como "Governo neoliberal vizinho".

"Qualquer país pode adotar suas medidas, suas políticas, mas que aconteceria se a Bolívia estivesse rodeada de partidos que defendem o capitalismo, o imperialismo, o neoliberalismo?", acrescentou.

Evo Morales tenta a reeleição nas eleições gerais de 6 de dezembro, aprovada na Constituição Política do Estado vigente desde fevereiro. EFE gb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG