Morales diz que texto da Unasul sobre massacre irá a ONU e OEA

Costa do Sauípe (Bahia), 16 dez (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou hoje no Brasil que o relatório da União de Nações Sul-americanas (Unasul) sobre o massacre ocorrido em setembro passado no departamento (estado) de Pando será levado à ONU e à Organização dos Estados Americanos (OEA).

EFE |

"É um relatório apoiado em uma resolução dos presidentes da América do Sul, elaborado por entendidas de direitos humanos, que será enviado a instâncias internacionais como a OEA e as Nações Unidas", destacou Morales em coletiva de imprensa após participar das reuniões do Mercosul e da Unasul.

Morales afirmou que, após seu discurso nos dois encontros presidenciais na Costa do Sauípe, "o mais importante foi o relatório sobre a comissão de investigação dos fatos" ocorridos no departamento de Pando.

"Há alguns meses, tivemos alguns problemas com grupos opositores do meu país e uma cúpula imediata, rápida, histórica e oportuna (convocada de maneira extraordinária pela Unasul em Santiago do Chile) foi muito importante para o bem da democracia", apontou o chefe de Estado.

Sobre o relatório da comissão da Unasul, liderada pelo ativista argentino de direitos humanos Rodolfo Mattarollo e cujas conclusões foram rejeitadas pela oposição boliviana, Morales citou que esse documento reconheceu que houve "massacre e genocídio".

Em setembro passado, os conflitos entre opositores e partidários do Governo Morales causaram 20 mortes na região amazônica de Pando.

As vítimas, quase todos camponeses seguidores de Morales, morreram durante a onda de violência que afetou o departamento amazônico em 11 de setembro e que derivou na detenção do então governador do departamento, Leopoldo Fernández. EFE wgm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG