processo de mudança - Mundo - iG" /

Morales diz que reunião da Unasul apoiará seu processo de mudança

La Paz, 13 set (EFE) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse hoje que a reunião de líderes da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) convocada pela chefe de Estado chilena, Michelle Bachelet, apoiará o processo de mudança promovido por seu Governo.

EFE |

"Não estamos sozinhos, nem na Bolívia nem no mundo", disse Morales em um ato em Cochabamba (centro), no qual assegurou que "a reunião de emergência" da Unasul que será realizada na segunda-feira em Santiago do Chile é "para dar apoio" ao "processo de mudança" na Bolívia.

Morales elogiou também a "solidariedade internacional" dos países e organismos que se pronunciaram contra a violência que vive o país, ao indicar que, com isso, estão "defendendo a democracia e a unidade do povo boliviano".

A Bolívia vive há semanas uma onda de protestos contra o Governo em várias regiões controladas pela oposição, que originou confrontos desde terça-feira e causou a morte de pelo menos 16 pessoas no departamento de Pando.

Os governadores regionais opositores de Santa Cruz, Beni, Pando, Tarija e Chuquisaca exigem que Morales devolva a receita petrolífera que suas regiões recebiam pelo Imposto Direto aos Hidrocarbonetos e que suspenda o processo de reforma constitucional.

Morales também aproveitou para criticar os Estados Unidos, ao dizer que na lista dos países que manifestaram sua solidariedade, "certamente" não está o Governo americano.

Nesse sentido, insistiu em que determinou a expulsão do embaixador dos Estados Unidos na Bolívia, Philip Goldberg, porque é um "especialista em dividir países" e conspirava junto à oposição contra seu Governo.

"Quero que o povo americano saiba: somos uma cultura do diálogo, queremos relações com todo o mundo, mas não queremos embaixadores que venham dividir" o país, acrescentou.

A Chancelaria boliviana notificou formalmente na quinta-feira Goldberg de que foi declarado "persona non grata", mas ainda não foi possível confirmar oficialmente se ele já deixou a Bolívia. EFE az/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG