Morales diz que eleição boliviana não será antecipada

LA PAZ (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou na quarta-feira que as próximas eleições gerais, previstas na nova Constituição para dezembro, não serão antecipadas para julho, conforme propuseram alguns dirigentes governistas nesta semana. Depois de uma reunião ministerial na terça-feira nos arredores de La Paz, dois representantes da Coordenadoria Nacional pela Mudança, um agrupamento pró-Morales, lançaram a proposta de antecipar a eleição para julho, aproveitando a onda de popularidade do presidente, que no domingo conseguiu aprovar a nova Constituição com mais de 60 por cento dos votos em um referendo nacional.

Reuters |

O presidente disse na quarta-feira que a idéia da antecipação do pleito é fruto de "apreciações errôneas de alguns dirigentes".

Políticos governistas cogitaram convocar manifestações populares e até uma renúncia coletiva dos congressistas para forçar à antecipação da eleição.

O artigo 1o das Disposições Transitórias da nova Carta prevê que as eleições gerais ocorrerão em 6 de dezembro de 2009.

(Por Diego Oré)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG