Morales discutirá com Lula preço de gás enviado ao Brasil

O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse, nesta quarta-feira, que vai analisar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante encontro no próximo sábado, os preços e volumes do gás boliviano exportado ao mercado brasileiro e uma suposta dívida que a Petrobras teria com a petroleira estatal do país, YPFB, pela compra desta energia. A informação foi publicada pela Agência Boliviana de Informação(ABI, estatal) e pela edição online do jornal La Razón.

BBC Brasil |

"Já antecipamos estes assuntos ao presidente brasileiro durante as reuniões presidenciais realizadas recentemente no Paraguai e no Equador", disse Morales, durante coletiva de imprensa em La Paz.

O líder boliviano não deu detalhes sobre o que já conversou ou pretende voltar a conversar com Lula.

A previsão é que os dois presidentes se encontrem neste sábado (22), na localidade de Chimoré, na região cocaleira do Chaparé, no Estado de Cochabamba, região central da Bolívia.

"Faremos uma revisão de uma série de acordos bilaterais e vamos analisar como ampliá-los ou promover novos entendimentos", disse.

Segundo Morales, a agenda de discussões prevê ainda acordos para o combate ao narcotráfico e um diálogo sobre a situação política regional.

A expectativa é de que seja assinado um acordo, segundo a imprensa local, para que o Brasil financie com US$ 332 milhões a construção de uma estrada no centro da Bolívia.

Demanda

Durante este ano, a demanda de gás boliviano por parte do Brasil registrou queda em alguns dias, levando autoridades da Bolívia a afirmarem que as oscilações afetariam o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Já a Câmara Boliviana de Hidrocarbonetos (CBH) divulgou um documento, na última terça-feira, onde afirma que o país terá que importar neste ano, pela primeira vez, diesel e gasolina para suprir 25% de sua demanda interna.

Assessores da CBH já haviam afirmado à BBC Brasil que o fato ocorre devido à queda na produção de combustíveis na Bolívia por falta de investimentos ou pelo mau rendimento de poços já antigos.

"Aliado"

Nesta quarta-feira, o vice-ministro de Defesa Social da Bolívia, Felipe Cáceres, afirmou que o Brasil é "melhor aliado do país" no combate ao narcotráfico e defendeu a intenção de produtores de folha de coca de realizarem a "escolta" de Lula durante sua visita a esta região.

"O Brasil é hoje o melhor aliado da Bolívia na luta contra o narcotráfico. (...) E não acho exagero que os produtores de coca realizem a escolta do presidente Lula", afirmou.

De acordo com a imprensa local, sindicatos de produtores de coca planejam mobilizar 100 mil pessoas para a chegada de Lula, sendo 2 mil produtores para "escolta e segurança" do presidente brasileiro.

Leia mais sobre gás

    Leia tudo sobre: bolíviabrasilgás

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG