La Paz, 28 jan (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, descartou hoje antecipar as eleições gerais no país, que serão realizadas em 6 de dezembro deste ano, como estipulado em uma disposição transitória da nova Constituição.

"O Governo nacional não tem nenhum plano para antecipar as eleições", afirmou Morales em entrevista coletiva em La Paz ao ser perguntado sobre declarações neste sentido de dirigentes de movimentos sociais que o apoiam.

Morales qualificou de "preocupantes" estas especulações, também expressadas por alguns setores da oposição, e insistiu em que a data das eleições gerais na Bolívia está fixada para 6 de dezembro.

O acordo alcançado em outubro no Congresso Nacional entre o Governo e parte da oposição, que permitiu convocar o referendo da Constituição realizado no domingo, incluiu o compromisso de antecipar em um ano as eleições gerais para realizá-las nessa data.

Nesse momento e em favor do consenso, Morales se comprometeu a concorrer somente mais uma vez à reeleição, nas eleições de dezembro, diante da rejeição que causou entre a oposição a possibilidade de poder concorrer a um terceiro mandato.

A nova Carta Magna da Bolívia submetida a referendo no domingo estabelece a possibilidade de uma só reeleição presidencial consecutiva. EFE sam/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.