Morales defende Chávez e Correa de suposto vínculo com as Farc

La Paz, 2 ago (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, defendeu hoje seus colegas da Venezuela, Hugo Chávez, e do Equador, Rafael Correa, das acusações que vinculam ambos às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

EFE |

Morales, que participou hoje de um ato no leste do país, classificou como "montagem para desprestigiar presidentes revolucionários" o vídeo em que o guerrilheiro colombiano Víctor Julio Suárez Rojas, conhecido como "Macaco Jojoy", dá a entender que fez contribuições à campanha eleitoral de Correa em 2006.

O chefe de Estado boliviano também se referiu aos três lança-foguetes em poder das Farc e que foram vendidos pela Suécia às Forças Armadas venezuelanas em 1988. O caso fez Bogotá cobrar explicações a Caracas, que respondeu congelando as relações bilaterais.

"Na semana passada, ouvi dizer que o presidente Chávez dá armas às Farc. Quem pode acreditar nisso? É uma campanha suja que vem do império (americano)", acrescentou.

"Como inventam coisas para decapitar Governos que trabalham por seu povo, pelos setores mais desfavorecidos", afirmou Morales.

O presidente boliviano também acusou o Comando Sul dos Estados Unidos de ser o principal responsável pelo golpe de Estado em Honduras.

Segundo Morales, o golpe militar é "uma advertência" do "imperialismo americano" para frear o crescimento da Aliança Bolivariana para as Américas (Alba), integrada por Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador, Nicarágua, Honduras, Dominica, São Vicente e Granadinas e Antígua e Barbuda. EFE gb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG