Morales crê em acordo com oposição boliviana nas próximas horas

COCHABAMBA, Bolívia (Reuters) - O presidente boliviano, Evo Morales, disse neste sábado confiar que a participação de enviados internacionais ao diálogo com a oposição permitirá um acordo para por fim à crise política que polarizou o país. As conversas acontecem em Cochabamba com oito dos nove governadores e participação de mediadores das Nações Unidas, da Organização dos Estados Americanos (OEA), da União de Nações Sul-americanas (Unasul) e da Igreja Católica.

Reuters |

'Tenho muita esperança que a presença da OEA, da ONU, da União Européia, especialmente dos países da América do Sul, pode flexibilizar alguns governadores para chegar a acordos esta tarde, porventura amanhã possamos terminar', disse o presidente indígena de 48 anos em uma coletiva de imprensa.

'É meu grande desejo, tenho a esperança', confirmou Morales, que anunciou que viajará na segunda-feira à tarde a Nova York para participar da assembléia das Nações Unidas.

O mandatário busca um consenso que lhe autorize a submeter a um referendo uma nova Constituição socialista, com a qual pretende aprofundar a nacionalização da economia, dar mais poder à maioria indígena e entregar propriedades dos latifundiários a camponeses pobres, pelo que enfrenta uma forte resistência dos distritos opositores do leste do país.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG