Morales convida governadores opositores ao diálogo em La Paz

La Paz, 12 set (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, convidou os governadores opositores a dialogar hoje mesmo em La Paz para encontrar uma solução para as três semanas de conflito nas regiões autonomistas.

EFE |

O governante fixou o convite para as 16h (17h de Brasília) durante um ato de comemoração do aniversário do município de Quillacollo, no departamento (estado) de Cochabamba.

Pouco antes, em La Paz, o ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, afirmou que enviou uma carta ao governador de Tarija, Mario Cossío, porta-voz do grupo de governadores opositores, convidando-lhe a visitar a sede do Governo hoje mesmo.

Cossío pediu na véspera a Morales para que ambas as partes se dêem "uma última oportunidade" e para que o presidente escolhesse "dia, lugar e a hora para assentar as bases do diálogo e iniciar o processo de reconciliação".

Em seu discurso, Morales comentou que se surpreendeu com o pedido de Cossío e reafirmou que "o diálogo está aberto" e pode ser realizado na tarde de hoje no Palácio de Governo em La Paz, mas pediu que sirva para analisar "razões" e "não imposições".

A onda de violência que a Bolívia vive há vários dias, com protestos contra o Governo Morales em várias regiões autonomistas que incluíram bloqueios de estradas e tomadas de instituições estatais, já deixou pelo menos oito mortos e dezenas de feridos.

"Sinto que o diálogo é o mais importante, mas quando há caprichos, quando há interesses de grupos, garanto que não vamos nos entender. Quando alguns governadores regionais têm interesses sob a manga" o entendimento é impossível, disse Morales.

Ele reafirmou que está disposto a lutar pelo seu projeto de nova Constituição, o que conta com a resistência dos governadores da oposição.

O ministro Quintana informou que o Governo colocará um pequeno avião à disposição do governador Cossío para que viaje a La Paz.

Fontes da Prefeitura de Tarija disseram à Agência Efe que esperam que o convite seja formalizado para se pronunciar a respeito.

Este ano, já houve algumas tentativas de diálogo entre o Governo e seus opositores que terminaram em fracasso pela inflexibilidade das posições de ambas as partes. EFE ja/ab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG