Morales confirma prisão de prefeito e oposição denuncia ruptura de diálogo

O presidente boliviano Evo Morales confirmou a prisão do prefeito do departamento de Pando, o opositor Leopoldo Fernández, e o secretário da prefeitura (governo) de Santa Cruz, Carlos Dabdoub, denunciou o fato como uma ruptura unilateral do diálogo com o governo.

AFP |

"Expressamos nosso desalento e tristeza por esta ruptura unilateral de Evo Morales", afirmou Dadboub, referindo-se às negociações mantidas pelo governo e a oposição em La Paz.

O prefeito (governador) Leopoldo Fernández, investigado pela promotoria por causa de uma matança, foi preso por militares, afirmou Morales. "Esta detenção é, em função do estado de sítio, legal e constitucional", afirmou o chefe de Estado em coletiva de imprensa no palácio presidencial, depois de informar os resultados da reunião de cúpula da Unasul, realizada na véspera, em Santiago, onde recebeu um forte apoio da região.

O canal de televisão estatal mostrou imagens de um pequeno avião em que supostamente Fernández era levado para a cidade de La Paz.

O governo tomou a decisão de prender o prefeito em seu gabinete em Cobija, fronteira com o Brasil, responsabilizando-o pelo massacre de camponeses na quinta-feira, quando morreram 16 pessoas.

Enquanto isso, em Santa Cruz, instituições e prédios públicos continuavam nesta terça tomadass pela Unión Juvenil Cruceñista, partidária do prefeito Ruben Costas, "à espera de uma decisão do governo local".

cap/rb/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG