Morales cogita abandonar direção de sindicato cocaleiro

La Paz, 19 jun (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse hoje que cogita deixar em julho a direção do sindicato de cocaleiros após 20 anos no cargo, embora uma alta dirigente do setor tenha afirmado à Agência Efe que buscarão ratificá-lo.

EFE |

Morales explicou em uma conferência com correspondentes de imprensa estrangeiros que quer deixar a direção do sindicato em um congresso que será realizado em uma data entre 6 e 18 de julho.

Ele afirmou que, por seu trabalho como presidente do país, seu cargo nesse sindicato é meramente "simbólico".

No entanto, a senadora governista e dirigente cocaleira Leonilda Zurita afirmou à Efe que os produtores da Federação do Trópico, à qual pertence Morales, querem que esse continue sendo o presidente.

O presidente boliviano atua há 12 anos na Presidência do Comitê de Coordenação das Seis Federações do Trópico de Cochabamba (centro do país), que reúne todo o setor cocaleiro de Chapare, de onde Morales construiu sua liderança política.

Em fevereiro, o governante foi reeleito como líder desse Comitê de Coordenação para outro mandato.

Zurita insistiu em que, no congresso de julho, Morales será ratificado como o principal dirigente da Federação do Trópico. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG