La Paz, 25 jan (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, rejeitou hoje as denúncias dos opositores sobre uma possível fraude no referendo constitucional realizado no país, e qualificou estas acusações de agonia dos derrotados.

Para o governante, os opositores sabem que a diferença a favor do "sim" à nova Constituição será "enorme" e, por isso, tentam gerar dúvidas sobre a transparência do processo.

"É o instrumento de agonia das pessoas derrotadas", ressaltou o líder boliviano em entrevista na cidade de Cochabamba, centro.

Morales defendeu o "alto espírito democrático" que os bolivianos estão demonstrando no referendo realizado hoje e aproveitou para dar parabéns aos rivais por comparecerem às urnas e terem "deixado de lado a violência".

O presidente disse estar otimista, porque "a democracia vai se impor neste dia histórico", e ressaltou a presença da comunidade internacional na Bolívia, onde há 350 observadores para vigiar o processo.

Mais de 3,8 milhões de bolivianos foram convocados hoje às urnas para apoiar ou rejeitar o texto constitucional com o qual Morales pretende "refundar" a Bolívia. EFE sam/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.