Morales apóia marcha a La Paz para exigir o referendo constitucional

La Paz, 27 set (EFE).- Os movimentos sociais e sindicais partidários do presidente Evo Morales decidiram hoje, com o seu apoio, marchar até La Paz para forçar o Congresso a convocar os referendos necessários para aprovar a nova Constituição da Bolívia.

EFE |

A Coordenadora Nacional pela Mudança (Conalcam), que aglutina os diferentes setores que apóiam ao Governo, tomaram esta decisão em uma assembléia realizada em Cochabamba na qual o presidente boliviano discursou.

A marcha começará no dia 13 de outubro em Caracollo, no departamento (estado) andino de Oruro, a pouco mais de 200 quilômetros de La Paz, e se dirigirá "contra o Congresso" até que aprove os referendos requeridos pelo projeto de Constituição impulsionado pelo Governo.

"Esta marcha é de refundação da Bolívia aprovando a nova Constituição", disse Morales ao mesmo tempo em que se mostrou "convencido de que vai ser uma passeata histórica".

O presidente terminou seu discurso ao grito de "pátria ou morte", habitual nos discursos que dirige a suas bases.

O presidente da Conalcam, Fidel Surco, leu as conclusões da assembléia de hoje, entre as quais está: "convocar a marcha e mobilização nacional a partir de 13 de outubro (...) para a cidade de La Paz, contra o Congresso nacional, até conseguir aprovar a lei de convocação da consulta constitucional". EFE az/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG