Morales acusa divisão antidrogas dos EUA de chantagem

La Paz, 13 fev (EFE).- O presidente boliviano, Evo Morales, acusou hoje a divisão antidrogas da embaixada dos Estados Unidos (NAS) de praticar uma chantagem permanente contra a Bolívia ao descumprir seu compromisso econômico para a erradicação dos cultivos de coca, conforme alegou.

EFE |

Morales denunciou que a NAS não está cumprindo os acordos econômicos contraídos com a Bolívia com um propósito político para poder dizer que o Governo não reduz os cultivos de coca e não luta contra o narcotráfico.

"Certamente, o novo Governo dos Estados Unidos não sabe que os operadores da NAS estão fazendo chantagem com o objetivo de dizer, no final do ano, que (na Bolívia) não há redução (de plantios de coca) e não há luta contra o narcotráfico", afirmou o presidente.

No ano passado, a Bolívia destruiu cinco mil hectares de plantações ilegais da folha, mas, desde janeiro, essas atividades estão paralisadas, segundo o Governo, devido à falta de apoio da NAS.

Morales defendeu que a luta contra o tráfico de drogas é um assunto de "co-responsabilidade compartilhada" com a comunidade internacional e especialmente com os Estados Unidos, porque "se não houvesse um mercado mundial de cocaína, a folha de coca não se transformaria" nesta substância.

As declarações do presidente boliviano foram respondidas hoje pelo representante da delegação americana em La Paz, Kris Urs, que assegurou em declarações ao canal "Unitel" que a NAS nunca deixou de apoiar a erradicação de coca. EFE sam/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG