Moradores deixam capital da Tailândia para fugir de enchentes

População lota terminais de ônibus e aeroportos de Bangcoc enquanto inundações se aproximam do coração da cidade

iG São Paulo |

Milhares de moradores tentam deixar a capital da Tailândia, Bangcoc, nesta quinta-feira, quando começa um feriado de cinco dias declarado pelo governo para ajudar a população a fugir das enchentes que ameaçam a cidade. Desde junho, inundações deixaram 373 mortos em todo o país.

Sete dos 50 distritos de Bangcoc, a maioria na região norte, estão inundados. Para dois deles - Don Muang e Bang Phlat - estão vigentes ordens de retirada. E conforme as águas se aproximam do centro da capital, moradores assustados decidem ir embora.

AP
Moradores lotam veículo para deixar área inundada na capital da Tailândia, Bangcoc

Milhares de tailandeses lotaram o terminal de ônibus Mo Chit para tentar deixar a cidade. Se conseguir espaço dentro do local, passageiros esperaram durante horas sentados na calçada. Outros tentavam vaga em veículos militares para deixar áreas inundadas.

O Aeroporto Internacional de Suvarnabhumi também registra grande movimento, enquanto o outro aeroporto, de Don Muang, permanece fechado por causa das inundações.

Com lágrimas nos olhos, a primeira-ministra tailandesa, Yingluck Shinawatra, que assumiu o cargo em agosto, disse que a crise em Bangcoc atingiu um ponto crítico.

"Parece que estamos lutando contra as forças da natureza, enchentes massivas que estão destruindo várias de nossas barragens", afirmou. "A verdade é que precisamos deixar a água fluir naturalmente até o mar, além de fazer o que pudermos para administrar a crise."

Os moradores que decidiram ficar na cidade construíram muros e proteções com sacos de areia para tentar impedir a entrada de água em lojas e estabelecimentos.

A população também fez reservas de comida e água, deixando vazias as prateleiras dos supermercados.

Na quarta-feira o governo advertiu que várias áreas de Bangcoc permanecerão inundadas por até um mês, porque a água superou os diques levantados no perímetro da cidade para evitar que a capital seja alagada como o planalto central do país.

O dano econômico das enchentes na Tailândia é difícil de quantificar, mas o Banco Central reduziu neste mês a previsão de crescimento do PIB para este ano de 4,1% para 3,1%. A projeção do Ministério das Finanças foi mais sombria: 2%. Sete polos industriais em províncias vizinhas a Bangcoc tiveram de interromper as atividades, deixando prejuízos de bilhões de dólares e 650 mil temporariamente sem trabalho.

O governo aprovou na terça-feira uma verba de US$ 10,6 bilhões dpara a reconstrução do país, num processo que já começou a ser discutido entre autoridades e empresários de diversos setores. O ministro do Turismo, Chumphol Silpa-archa, disse que entre 500 mil e 1 milhão de turistas podem deixar de visitar a Tailândia neste ano por causa das inundações. A previsão inicial era de 19 milhões de visitantes em 2011.

Com AP, AFP, EFE e Reuters

    Leia tudo sobre: tailândiaenchentesinundaçõesbangcoc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG