Aquila buscam parentes e amigos após terremoto - Mundo - iG" /

Moradores de L Aquila buscam parentes e amigos após terremoto

L Aquila (Itália), 7 abr (EFE).- Os moradores de L Aquila, capital da região dos Abruzzo, muitos deles que passaram a noite em carros e tendas de campanha, saíram hoje em busca de parentes e amigos dos quais ainda não têm notícias, enquanto a imprensa oficial já fala de 179 mortos.

EFE |

Muitas pessoas se concentravam hoje no campo de atletismo da cidade para perguntar se sabiam do paradeiro de conhecidos, evitando perguntas dos jornalistas.

Alguns dos desabrigados se dirigem ao hospital de campanha colocado perto do campo e outros vão uma caminhonete onde foi instalado o centro de registro dos que ficaram sem casa, diante do qual há filas para verificar listas.

Fontes dos serviços de emergência disseram à Agência Efe que ainda não houve a apuração definitiva dos desabrigados que dormiram nas tendas de campanha, nem se sabe quantas pessoas passaram a noite no carro.

Também não se sabe quantas pessoas deixaram a cidade e foram para Pescara, a 100 quilômetros de L'Aquila, dormir nos hotéis do Adriático.

As tendas, com capacidade para oito pessoas, protegeram pouco os desabrigados do frio que, apesar dos cobertores distribuídos pela Defesa Civil, foi intenso.

Durante a noite, continuaram as réplicas do terremoto de 5,8 graus na escala Richter que atingiu ontem a região de Abruzzo e cujo epicentro foi localizado a cerca de 100 quilômetros de Roma.

O número de vítimas continua aumentando na cidade de L'Aquila e hoje os cadáveres de dois jovens foram resgatados dos escombros de uma escola.

Vinte e três horas depois do terremoto, as forças de resgate recuperaram às 2h (21h de Brasília de ontem) uma jovem que permanecia presa nos destroços de um imóvel de quatro andares que desabou por causa do terremoto. A vítima saiu dos escombros em bom estado.

Cerca de 850 militares já foram mobilizados na região de Abruzzo para os trabalhos de resgate. O Exército ofereceu 105 tendas, 1,5 mil cobertores e 1,4 mil camas de campanha, além de 13 escavadeiras, uma cisterna e torres de iluminação.

Segundo os mais recentes dados, o número de mortos é de 179 na área que cerca o epicentro do terremoto, e a imprensa italiana informa que há 40 vítimas fatais não identificadas, 34 desaparecidos, 1,5 mil feridos e 17 mil desabrigados. EFE ebp-cps/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG