Moradores de favelas do Rio aprovam novo modelo de policiamento

Rio de Janeiro, 27 jun (EFE).- O modelo de segurança implantado nos últimos meses em cinco favelas do Rio de Janeiro, que passa pela expulsão dos traficantes e a melhoria de serviços sociais, foi aprovado pelos moradores destas comunicadas, segundo um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) publicado hoje.

EFE |

Quase 60% dos entrevistados, moradores das favelas Santa Marta, na zona sul e Cidade de Deus, na zona oeste, consideraram que a segurança pessoal e de suas famílias melhorou desde que a Polícia Militar assumiu o controle do local onde moram.

Metade dos moradores também disse que a questão do respeito aos direitos humanos na favela melhorou e 54% opinaram que a violência policial diminuiu.

A grande maioria, acima de 90% dos entrevistados, falou que gostaria que este modelo fosse mantido de forma indeterminada e que se estendesse para outras das mais de 900 favelas do Rio de Janeiro.

Por outro lado, alguns moradores se queixaram da persistência de casos de extorsão por parte de policiais alheios a este sistema de segurança.

O Governo do Rio de Janeiro estabeleceu este modelo em outubro de 2008, começando na Santa Marta. Em fevereiro deste ano, a Polícia o aplicou na Cidade de Deus e na favela do Batan, na zona oeste do Rio e, em junho, nas comunidades da Babilônia e Chapéu Mangueira, ambos na zona sul. EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG