Redação Central, 3 ago (EFE).- Depois de Adhemar Ferreira da Silva e Nélson Prudêncio, foi a vez de João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, trazer mais uma medalha para o atletismo brasileiro no salto triplo, nos Jogos Olímpicos de Montreal, em 1976.

João do Pulo chegou ao Canadá credenciado pelo título Pan-Americano no ano anterior, quando estabeleceu o novo recorde mundial da modalidade. No entanto, não foi tão bem em Montreal, saltando bem abaixo de sua melhor marca e ficando apenas na terceira colocação. O recorde, no entanto, não foi superado pelo soviético Viktor Saneyev - que se sagrou tricampeão olímpico.

O brasileiro participou ainda da final do salto em distância, mas também não teve sorte, e ficou em quarto, saltando dois centímetros a menos que o medalhista de bronze, o alemão-oriental Frank Wartenberg.

Outra participação digna de nota no atletismo foi a de Ruy da Silva, quinto colocado nos 200 metros, mesma colocação do boxeador Fernando Martins na categoria médio (até 75 kg).

No iatismo, de tanto perseguir a medalha em Jogos anteriores, o velejador Reinaldo Conrad acabou levando um bronze na classe Flying Dutchman, agora ao lado de Peter Ficker. Além da dupla, Cláudio Biekark conseguiu um quarto lugar na classe Finn.

Na natação, mesmo sem medalha, Djan Madruga foi bem e terminou em quarto nos 400 e 1.500 metros livre, enquanto Rômulo Arantes, Sylvio Fiolo, Paulo Jovanneau e Sérgio Ribeiro não conseguiram passar da primeira fase.

De todas as modalidades disputadas pelos 93 atletas da delegação, a ausência mais sentida foi a da seleção de basquete, que passava por um período de renovação, e não conseguiu se classificar.

Por outro lado, o futebol fez sua melhor campanha até então. A equipe que contava com o goleiro Carlos, além de Júnior, Edinho e Batista, entre outros jogadores de destaque no futebol brasileiro, empatou na estréia com a Alemanha Oriental em 0 a 0 e venceu na seqüência Espanha (2 a 1) e Israel (4 a 1).

No entanto, as derrotas nas semifinais para a Polônia e na decisão do bronze para a União Soviética (ambas por 2 a 0) fizeram mais uma vez a seleção voltar para casa de mãos vazias, terminando o torneio em quarto lugar.

Já o vôlei, mesmo contando com uma equipe marcada pelo encontro da geração de Bebeto de Freitas e José Roberto Guimarães com a de Bernard, William e Fernandão (que seriam prata em Los Angeles oito anos depois), a seleção venceu apenas uma das cinco partidas disputadas e terminou em sétimo lugar.

No entanto, os brasileiros cumpriram papel discreto em esgrima, atletismo feminino, natação feminina, judô, levantamento de peso, remo, saltos ornamentais e tiro. EFE ev/plc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.