Monti diz que Itália precisa sanear economia e crescer

Economista que foi convidado a formar novo governo afirma que contexto econômico europeu e global é "problemático"

iG São Paulo |

O economista Mario Monti , convidado formalmente pelo presidente italiano Giorgio Napolitano para formar um novo governo como primeiro-ministro após a renúncia do premiê Silvio Berlusconi , afirmou neste domingo que o contexto econômico europeu e global é "problemático". Ele disse que a Itália precisa ser um "elemento de força, não e fraqueza" na União Europeia (UE) para ajudar a conter a crise da dívida na região.

Leia também: Entenda a crise econômica mundial

"A Itália deve voltar a sanear sua economia e a retomar o caminho do crescimento. É algo que devemos a nossos filhos, aos quais temos que dar um futuro concreto de dignidade e esperança", disse Monti em sua primeira entrevista como premiê.

Monti declarou que seus esforços vão se concentrar na correção das finanças públicas da Itália e na tentativa de impulsionar o crescimento econômico. Ele acrescentou que vai prestar atenção a questões de "justiça social e intergeracionais". Segundo Monti, há alguns "aspectos de emergência" na situação atual, mas a Itália "pode superá-los com o esforço comum". Monti prometeu fazer um bom trabalho o mais rápido possível.

O economista foi convidado nesta tarde por Napolitano para formar o novo governo, mas ainda precisa nomear um gabinete e receber o voto de confiança do parlamento. Napolitano pediu que os legisladores ofereçam amplo apoio bipartidário a Monti e confirmou que os líderes dos dois maiores partidos da Itália concordaram em fazê-lo, desde que o novo governo seja formado por ministros técnicos e não por políticos ativos.

AFP
Monti decarou que seus esforços cão se concentrar na correção das finanças públicas

*Com AE e EFE

    Leia tudo sobre: MontiItáliaBerlusconi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG