Monti deve terminar nesta terça consultas para governo na Itália

Premiê designado se reúne com os dois maiores partidos do país; depois está previsto que apresente seu Executivo para o presidente

iG São Paulo |

AFP
Monti é economista, conhecido por ser um negociador puro
O novo primeiro-ministro italiano, Mario Monti , terminará nesta terça-feira sua rodada de consultas com reuniões com os dois maiores partidos políticos do país, o Povo da Liberdade (PDL) e o Partido Democrata (PD), além de encontros com sindicatos e empresários. Depois está previsto que Monti apresente seu Executivo ao presidente Giorgio Napolitano.

Leia também: Monti é chamado por presidente da Itália para formar novo governo

Saiba mais: Mario Monti quer governar Itália até 2013

O ex-comissário europeu, que substitui Silvio Berlusconi no cargo, declarou que pretende esgotar a atual legislatura em 2013 e gostaria de formar um Executivo com tecnocratas e políticos das distintas formações presentes no Parlamento. Monti começou na segunda-feira a rodada de consultas com os partidos políticos com reuniões com as formações menores e nesta terça-feira continuará com o PD e o PDL, cujo apoio é fundamental para que seu governo consiga o voto de confiança.

O PD declarou que apoiará Monti, mas o novo primeiro-ministro enfrentará alguns problemas com o PDL, já que o partido de Berlusconi declarou que não quer políticos, mas técnicos no novo governo, além de novas eleições em breve.

Monti também receberá nesta terça-feira os secretários dos três principais sindicatos do país e da Associação Italiana de Bancos. A principal novidade, como anunciou na segunda-feira, é que também se reunirá com uma representação de jovens e associações de mulheres.

"Temos de ter a coragem de orientar para esses dois âmbitos cruciais de nossa sociedade (mulheres e jovens) as ações da política econômica e política social do país. O que é bom para os jovens, também é bom para o país", disse Monti.

Após as consultas, o primeiro-ministro terá que fazer a lista de ministros que apresentará a Napolitano, o que deve acontecer entre esta terça e quarta, já que o governo espera receber o voto de confiança do Parlamento antes de sexta-feira.

    Leia tudo sobre: renúncia de berlusconiitáliaberlusconicriseuezona do euromonti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG