Monitores chegam à Rússia para acompanhar fluxo de gás

Por Gleb Garanich SUDZHA, Rússia (Reuters) - Monitores da União Européia chegaram à Rússia neste domingo, no que pode ser o primeiro passo para o fim da suspensão no fornecimento de gás que afetou diversas partes da Europa.

Reuters |

Mas o gás só deve começar a chegar à Europa a partir de terça-feira, praticamente duas semanas depois do inicio da disputa sobre preços do gás entre Moscou e Kiev, o que provocou uma crise no fornecimento da energia e levantou questões sobre a dependência da União Européia sobre a Rússia.

Com base no acordo firmado com a União Européia, Rússia e Ucrânia se comprometeram a retomar o fluxo de gás uma vez que os monitores cheguem as regiões estratégicas ao longo da rota dos gasodutos que passam pela Rússia, Ucrânia, até chegar à Europa.

O presidente russo Dimitri Medvedev afirmou no domingo que o envio de gás só será reiniciado quando Moscou receber a cópia do acordo e todos os monitores estiverem nos locais determinados.

"Se essas condições forem satisfeitas, a retomada do envio será iniciada", disse Medvedev em uma reunião transmitida pela TV com Igor Sechin, vice-primeiro-ministro responsável pela área de energia.

Muitas fábricas na Europa fecharam suas portas e milhares de cidadãos sofreram com temperaturas abaixo de zero depois que a disputa sobre preços entre Moscou e Kiev acabou gerando uma interrupção no fornecimento da energia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG