O príncipe de Mônaco, Albert 2º, autorizou nesta sexta-feira a extradição do ex-banqueiro Salvatore Caccciola para o Brasil, informou a assessoria de Comunicação do principado à BBC Brasil. A decisão é anunciada dez dias depois de os advogados de defesa de Cacciola esgotarem as esferas de recursos no principado.

O último havia sido apresentado na instância máxima da Justiça monegasca, o Tribunal de Revisão.

Cacciola foi condenado em 2005, à revelia, a 13 anos de prisão pela Justiça Federal do Rio de Janeiro por crimes de peculato (utilização do cargo para apropriação de dinheiro) e gestão fraudulenta do Banco Marka.

A ajuda do Banco Central recebida por Cacciola causou prejuízos de R$ 1,5 bilhão aos cofres públicos, segundo conclusões de uma CPI sobre o caso.

O ex-banqueiro, que havia fugido para a Itália em 2000, foi preso no ano passado pela polícia de Mônaco.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.