Moderno instrumento de medição é instalado no telescópio de Monte Paranal

Um novo espectrógrafo XShooter capaz de analisar a luz dos distantes sobressaltos de raios gama, as mais violentas explosões de energia do universo, acaba de ser instalado no VLT (Very Large Telescope) europeu do Monte Paranal, no norte do Chile.

AFP |

Os primeiros experimentos iniciados em meados de março indicaram que o instrumento funciona eficazmente em todas as distâncias de onda, do ultravioleta quase até o infravermelho, anunciaram na segunda-feira os responsáveis pelo projeto, do qual participaram onze institutos europeus e o Observatório Austral Europeu (ESO).

Capaz de registrar de uma só vez a radiação completa de um objeto celeste, este espectrógrafo de grande sensibilidade observará sem perda de tempo os sobressaltos de raios gama, fontes efêmeras de grande luminosidade.

São os fenômenos "mais luminosos do universo", pois um flash luminoso de raios gama pode ter "dez milhões de vezes a luminosidade de uma galáxia", destacou François Hammer, do Observatório de Paris.

Estes flashes luminosos gigantes saídos das profundezas do cosmos podem ser utilizados para "compreender a história do universo", disse.

"Hoje não se sabe nada a respeito das primeiras estrelas" que devem ter surgido no universo cerca de 400 milhões de anos depois do Big Bang, explicou o cientista.

O X-Shooter analisará a luz dos grandes sobressaltos de raios gama ocorridos quando o universo tinha 400 milhões ou "apenas" 270 milhões de anos, ressaltou.

Capaz de cobrir distâncias de onda de 300 a 2.400 nanômetros, o X-Shooter tornará possível "inspecionar o universo em todos os seus aspectos, em todas as suas dimensões" e, sobretudo, estudar a matéria das galáxias distantes, acrescentou.

O X-Shooter, que custou 6 milhões de euros, é um projeto conjunto de Dinamarca, França, Itália, Holanda e do Observatório Austral Europeu.

ah/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG