Mitchell se reunirá com Netanyahu e Abbas para impulsionar negociações

Jerusalém - O enviado especial dos EUA para o Oriente Médio, George Mitchell, tratará de impulsionar o processo de paz de Oriente nas reuniões que manterá hoje com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e com o presidente palestino, Mahmoud Abbas.

EFE |

Mitchell tem programado esta manhã em Jerusalém uma reunião com Netanyahu, encontro originalmente previsto para ontem mas que foi adiado devido aos funerais do filho do até agora único astronauta israelense Ilan Ramón, falecido na catástrofe do Columbia em 2003.

O diário "Ha'aretz" informa que o enviado americano tentará arrancar de Israel um acordo para a interrupção absoluta da construção nos assentamentos judaicos na Cisjordânia, condição de Abbas para acudir a uma conferência em Nova York que o presidente Barack Obama quer convocar para o dia 23.

Netanyahu se mostrou disposto a uma "redução" parcial e ontem assegurou perante a Comissão de Exteriores e Segurança do Parlamento israelense que "não haverá paralisação completa" e que em Jerusalém Oriental se seguirá construindo porque "não é um assentamento".

Segundo o diário, que não fala de Jerusalém Oriental, Estados Unidos exige uma cessação na construção de um ano, o dobro da oferta atual de Netanyahu.

A primeira hora da tarde, Mitchell se transferirá a Ramala, capital administrativa da Cisjordânia, para reunir-se com Abbas e com o negociador-chefe palestino Saeb Erekat.

A postura palestina sobre o encontro de Nova York depende de um compromisso israelense a interromper os trabalhos nos assentamentos em território ocupado, incluído Jerusalém Oriental.

Nas últimas semanas diplomatas americanos tratam de convencer a Israel que seja mais generoso na questão dos assentamentos para facilitar a Abbas a decisão de suspender o boicote aos contatos diretos.

Desde que Netanyahu formou Governo em março a ANP descarta os encontros com líderes de Israel, boicote que foi quebrado pela primeira vez no último dia 2 em entrevista entre o ministro israelense de Cooperação Regional, Silvan Shalom, e o de Economia palestino, Basam Jury.

Além disso, o "Ha'aretz" conta hoje que Erekat se reuniu em segredo na semana passada com o presidente israelense, Shimon Peres, que lhe pediu transmitir a Abbas a importância que as conversas de paz se retomem no fim do mês.

Como presidente, Peres não tem poderes executivos, mas nas últimas semanas empreendeu uma função muito mais ativa no plano político que as atribuídas por lei ao chefe do Estado a fim de encaminhar Netanyahu para negociações com os palestinos.

Leia mais sobre: Oriente Médio

    Leia tudo sobre: israelnetanyahuoriente médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG