Missões internacionais deixam Geórgia

Tbilisi, 30 jun (EFE).- Observadores da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) e das Nações Unidas iniciaram hoje sua retirada da Geórgia e da Abkházia, depois da Rússia ter negado o prolongamento de suas missões, em meio a crescentes temores sobre uma nova guerra entre os dois países.

EFE |

Uma emissora de TV exibiu imagens que mostravam veículos OSCE saindo da base central da missão, iniciada na Geórgia há 17 anos e localizada em Karaleti, perto da outra região separatista georgiana, a Ossétia do Sul.

Moradores locais criticaram o fim da missão, ao afirmarem que a presença dos 20 observadores criava garantias de sua segurança, após o conflito armado entre Rússia e Geórgia, em agosto de 2008.

A chefe da equipe da OSCE, Terhi Hakala, lamentou a saída dos observadores, ao indicar que a situação da Abkházia e da Ossétia do Sul continua "extremamente instável".

A saída das missões foi feita já que a Rússia vetou seu prolongamento, depois que os demais países apoiaram a integridade territorial da Geórgia e se negaram a reconhecer a independência das regiões separatistas.

O presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, agradeceu o trabalho das duas missões e prometeu buscar outras formas de participação de observadores europeus na supervisão das zonas de conflito e no "restabelecimento da integridade do país".

A saída dos observadores ocidentais se dá em meio a crescentes tensões entre a Rússia e a Geórgia, que se acusam mutuamente de preparar novas agressões, além das advertências de especialistas sobre o perigo de um novo conflito bélico. EFE mv-si/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG