Míssil norte-coreano é ameaça aos EUA, diz secretário de Defesa

Na China, Robert Gates diz que regime pode ter míssil intercontinetal em 5 anos; Pequim testa caça invisível a radares

iG São Paulo |

A Coreia do Norte está se transformando em uma ameaça direta aos EUA e pode desenvolver um míssil balístico intercontinental em cinco anos, disse o secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, em Pequim nesta terça-feira, após conversas com o presidente chinês, Hu Jintao. O míssil teria o potencial de atingir o Alasca ou a Costa Oeste americana.

AP
Secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates (à esq.), reúne-se com presidente chinês, Hu Jintao, em Pequim
Apesar da advertência, Gates disse não acreditar que a Coreia do Norte seria capaz de reunir uma quantidade grande desses mísseis, afirmando que teria uma capacidade limitada.

Hu visitará os Estados Unidos em 19 de janeiro, quando o presidente dos EUA, Barack Obama, espera levar o líder chinês a exercer pressão maior sobre a Coreia do Norte. A China é o único grande defensor diplomático e econômico da Coreia do Norte. Gates disse ser "evidente" que Obama e Hu discutiriam a Coreia do Norte.

A visita de Gates à China, a primeira desde 2007, simboliza "os novos avanços" nas relações militares EUA-China, declarou Hu, afirmando que a reunião com o chefe do Pentágono em Pequim permitiu que os dois países trocassem ideias "de maneira muito sincera".

Gates, por sua vez, transmitiu a Hu os cumprimentos de Obama, afirmando que os encontros com o presidente e com outras autoridades chinesas proporcionaram um avanço para "melhorar em longo prazo" os vínculos militares entre os dois países.

Teste de avião de caça

As declarações foram feitas no mesmo dia em que o presidente Hu confirmou a Gates que a China realizou seu primeiro teste de voo de um avião de caça invisível a radares. Segundo o secretário de Defesa americano, o líder chinês disse que o voo inaugural de um avião de caça avançado não coincidiu propositalmente com sua visita, tendo sido planejado anteriormente.

AP
Caça invisível aos radares, J-20 tem as mesmas formas angulares do avião F-22 Raptor, do Pentágono (07/01/2011)
Segundo informações divulgadas na internet chinesa, o país realizou com sucesso nesta terça-feira o primeiro teste de voo de um novo avião de caça J-20 que poderia diminuir a distância militar entre o país e os EUA.

Fotos do avião J-20, voando sobre a Província de Sichuan (sudoeste), foram publicadas em sites do jornal Global Times e da Agência China Nova. O voo de teste durou 15 minutos.

*Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: euachinacoreia do norteavião de caça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG