Míssil mata oito no Paquistão em ataque atribuído aos EUA

Pelo menos oito insurgentes islamitas morreram na noite de terça-feira após o disparo de um míssil, supostamente americano, contra as zonas tribais do Paquistão, segundo um novo balanço anunciado nesta quarta-feira.

AFP |

"São estrangeiros, essencialmente árabes", declarou à AFP um alto funcionário das forças de segurança do Paquistão que pediu anonimato. Durante a noite, a mesma fonte havia anunciado quatro mortos. No entanto, alguns feridos não resistiram e faleceram com o passar das horas.

Inicialmente, homens do povoado de Khusali Toorikhel, no distrito tribal do Waziristão do Norte, feudo dos talibãs paquistaneses e da Al-Qaeda, abriram fogo contra três drones, relatou à AFP um oficial dos serviços de segurança que pediu para não ser identificado.

"Depois dos disparos contra os drones (aviões de vigilância sem piloto), um míssil caiu sobre uma das casas da cidade. Quatro pessoas morreram e outras nove ficaram feridas", completou a fonte.

Este novo incidente ocorre em um péssimo momento nas relações entre Washington e Islamabad, devido aos insistentes ataques com mísseis contra alvos no território paquistanês a partir do Afeganistão, onde as forças internacionais combatem a milícia talibã.

Os disparos de mísseis americanos contra supostas posições da rede Al-Qaeda nas zonas tribais do Paquistão têm sido quase diários nos últimos meses, provocando a indignação de Islamabad, um tradicional aliado de Washington na guerra contra o terrorismo.

Na quinta-feira passada, militares paquistaneses e americanos trocaram tiros ao longo da fronteira entre Paquistão e Afeganistão, após disparos paquistaneses contra dois helicópteros dos Estados Unidos.

As autoridades paquistanesas já afirmaram que não tolerarão mais "violações" de sua soberania em nome da luta contra o terrorismo, especialmente após uma operação de comandos, lançada em 3 setembro passado pelas forças especiais americanas contra posições inimigas em uma aldeia do Waziristão do Norte, que matou 15 civis, segundo Islamabad.

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG