Mísseis dos EUA matam 5 no Paquistão

Por Kamran Haider ISLAMABAD (Reuters) - Mísseis disparados pelos Estados Unidos mataram cinco militantes na quarta-feira no noroeste do Paquistão, segundo uma autoridade local.

Reuters |

Outra fonte oficial disse que o ataque contra um contêiner cheio de munições e explosivos foi resultado de uma melhor coordenação nos trabalhos de inteligência entre EUA e Paquistão, já que ambos os países participaram da operação.

Frustrados pelo recrudescimento do Taliban no vizinho Afeganistão, os EUA ampliaram os ataques contra militantes no Paquistão, onde neste mês houve seis bombardeios com mísseis e uma incursão de soldados levados de helicóptero.

Autoridades norte-americanas dizem que guerrilheiros ligados ao Taliban e à Al Qaeda usam regiões controladas por tribos da etnia pashto no lado paquistanês como plataforma para ataques dentro do Afeganistão.

Mas as ações militares dos EUA enfurecem muitos paquistaneses, e o Exército prometeu resistir a agressões em seu território.

O ataque mais recente foi realizado por um avião-robô que disparou quatro mísseis ao anoitecer sobre um acampamento na aldeia de Bahar, na região do Waziristão do Sul. Três dos mortos eram árabes, segundo uma fonte paquistanesa de inteligência que pediu anonimato.

O novo governo do Paquistão prometeu apoio à campanha dos EUA contra a insurgência, apesar das restrições de grande parte da população aos ataques norte-americanos contra militantes islâmicos.

Horas antes do bombardeio, o almirante Mike Mullen, chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, se encontrou em Islamabad com o primeiro-ministro Yousaf Raza Gilani e o comandante do Exército, general Ashfaq Kayani, a quem 'reiterou o compromisso dos EUA de respeitar a soberania do Paquistão e desenvolver ainda mais a cooperação e coordenação EUA-Paquistão', segundo nota da embaixada dos EUA.

Mullen admitiu neste mês que o Ocidente provavelmente não está vencendo no Afeganistão e que era preciso 'procurar uma estratégia nova e mais abrangente' que abrangesse também as áreas tribais do Paquistão.

(Reportagem adicional de Simon Cameron-Moore; Hafiz Wazir, Haji Mujtaba, Mian Saeed-ur-Rehman, John Ruwitch em Hong Kong e Andrew Gray em Cabul)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG