Mísseis dos EUA matam 30 no Paquistão, dizem talibãs

(Aumenta número de mortos e acrescenta outros detalhes) Islamabad, 14 fev (EFE).- Pelo menos 30 pessoas morreram devido ao impacto de dois mísseis que triam sido lançados por aviões americanos não-tripulados no conflituoso cinturão tribal paquistanês fronteiriço com o Afeganistão, disseram hoje fontes talibãs citadas pelo canal privado Dawn.

EFE |

O ataque, que seria dirigido contra a residência de um importante comandante talibã, ocorreu na madrugada passada na zona de Ladha, situada na demarcação tribal do Waziristão do Sul, reduto do líder dos talibãs paquistaneses, Baitullah Mehsud.

Segundo as fontes citadas pela "Dawn", também houve mais de 20 feridos, e alguns deles estão em situação crítica.

O canal informou também que os mortos eram insurgentes uzbeques.

A rede de televisão "Geo", que não citou suas fontes, avaliou em 32 o número de vítimas fatais e coincidiu em que o ataque consistiu no lançamento de dois mísseis.

Os ataques de aviões espiões americanos contra alvos fundamentalistas são frequentes nas áreas tribais paquistanesas.

Este é o segundo ataque destas características desde que Barack Obama assumiu a Presidência dos Estados Unidos, mas, desde setembro, houve cerca de 30.

Estes ataques geram uma forte rejeição popular no Paquistão e críticas por parte das autoridades políticas, mas fontes militares e de inteligência deste país reconheceram à Efe que existe um acordo tácito entre Paquistão e EUA.

Ontem, a senadora americana Dianne Feinstein disse que estes aviões partem de uma base aérea paquistanesa para realizar seus ataques.

Uma fonte de inteligência ocidental disse à Agência Efe recentemente que a cidade paquistanesa de Peshawar serve de base de operações da CIA para coordenar estas ações. EFE igb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG