Missão humanitária parte para buscar restos mortais de refém das Farc

A missão humanitária para receber os restos mortais do coronel da polícia Julián Guevara, morto em 2006 quando era refém das Farc, partiu nesta quinta-feira às 9h56 locais (11h56 no horário de Brasília) do aeroporto da cidade de Villavicencio.

AFP |


A missão humanitária partiu em um helicóptero da Força Aérea Brasileira. As operações militares foram suspensas em uma região entre os departamentos de Meta e Guavire, a partir das 18h locais de quarta-feira (20H00 de Brasília), segundo anunciou o Alto Comissário para a Paz, Frank Pearl.

Guevara, que tinha a patente de capitão quando foi sequestrado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no dia 1 o de novembro de 1998, morreu em 2006. Durante o cativeiro, o Exército o promoveu para major e, após sua morte, para coronel.

A missão humanitária é integrada pela ONG "Colombianos e Colombianas pela Paz" - liderada pela senadora Piedad Córdoba, e por delegados da Cruz Vermelha e membros da Igreja católica colombiana.

Durante a semana, as Farc libertaram dois reféns: Pablo Emilio Moncayo e Josué Daniel Calvo.

Leia mais sobre Colômbia

    Leia tudo sobre: colômbia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG