Missão humanitária chega ao Brasil e pernoita em plena selva

Rio de Janeiro - A senadora colombiana Piedad Córdoba e a delegação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) que receberá seis reféns da guerrilha das Farc chegaram nesta sexta-feira à localidade brasileira de São Gabriel da Cachoeira, e pernoitarão em uma base militar no coração da floresta amazônica.

Redação com agências internacionais |

Fontes desse município disseram à Agência Efe por telefone que Córdoba e seus acompanhantes chegaram por volta do meio-dia à sede da Segunda Brigada de Infantaria de Selva e passam a noite no local, de onde amanhã partirão em dois helicópteros brasileiros que no domingo recolherão os seis sequestrados que as Farc prometeram libertar.

O batalhão onde a comitiva pernoitará fica em uma remota região chamada Distrito Yauareté, ao qual só se pode chegar por via aérea ou pelo Rio Negro, em uma viagem que desde o centro urbano de São Gabriel pode durar entre 10 e 12 horas em lancha rápida devido ao traçado sinuoso do rio, acrescentou a fonte.

Córdoba e a delegação do CICV partem amanhã da base militar rumo à cidade colombiana de San José del Guaviare, 400 quilômetros ao sul de Bogotá, para abastecer os aparelhos e no domingo viajam para um lugar da selva não revelado, onde recolherão os primeiros reféns.

Brasil na logística

O Brasil coordena a parte logística para a libertação dos reféns, anunciada de forma unilateral pelas Farc em dezembro passado.

O governo brasileiro informou na sexta-feira passada que fornecerá os meios necessários requeridos pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha para receber os reféns em algum lugar da Colômbia.

Os seis reféns fazem parte de um grupo de 28 que ainda resta em poder desta guerrilha e os quais as Farc pretendem trocar por 500 de seus militantes presos, incluindo três nos Estados Unidos.


Leia mais sobre  Farc

    Leia tudo sobre: farc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG