Missão da UE critica falta de equidade em eleições no Equador

Quito, 28 abr (EFE).- A missão de observação da União Europeia (UE) apresentou hoje o relatório preliminar sobre as eleições gerais no Equador de 26 de abril, em que destacou que o pleito foi transparente e criticou a ausência de equidade durante a campanha.

EFE |

O chefe da missão europeia, o português José Ribeiro, encarregado de divulgar as conclusões do relatório, insistiu na boa administração das eleições gerais.

"A visão global que temos, em resumo, é que em muitos temas e pontos críticos e sensíveis do sistema se avançou", afirmou Ribeiro, que ressaltou, porém, que "ainda há muito para refletir na prática real das boas normas que se inscreveram na Constituição", aprovada em setembro passado.

Quanto aos problemas registrados durante a jornada eleitoral "em nível local", segundo a missão europeia são devido ao fato de terem sido realizadas cinco eleições no mesmo dia: presidente e vice-presidente, legisladores, governadores, prefeitos e vereadores.

O representante europeu criticou, sobretudo, a presença dominante na imprensa do presidente e candidato à reeleição, Rafael Correa, no período de campanha, que "não beneficiou a equidade".

Segundo ele, a situação também se observou nas campanhas de governadores e prefeitos que tentavam a reeleição.

Para os observadores europeus, o sistema equitativo de promoção eleitoral, "embora positivo", produziu "uma saturação do espaço midiático contraproducente".

Os observadores da UE, que começaram seu trabalho seis semanas antes das eleições, continuam agora seu processo de análise da apuração e permanecerão no Equador até meados de maio, para seguir o processo pós-eleitoral. EFE asp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG